Tuesday, October 17, 2006

Jangadeiro

Torrentes de água correm
Por entre as redes lançadas
Por meio da imensidão azul
Que eu vejo
Intenso

Tórridas águas que correm
Por entre sua pele, laçada
Por meio da imensidão alva
Que eu desejo
Intento

A movimentação, a jangada, teu corpo
A água, teu suor, teu gozo, é intenso
Meu intento, imenso, o mar azul
De ver-te, ter-te, possuir-te
Em mim

10 comments:

manoella said...

uuuuu. vejo q continua
colocando em alto teu lado
poeta de sempre. =)
bjo

Jhonny182 said...

oieee.

uallllllllllll

tenhu um amigo poeta..
akspaokspaokso
q xike..

de ond vc tira tudo issu???

coração ou mente?????

me ensina oks!!!!!!]

abraçosss

rafaelparker said...
This comment has been removed by a blog administrator.
kinhastar said...

genteee que medo desse poema!!!
rsrsrsrsrsrsr

x)~


bjos amore!!!!!!!!

Philip said...

geeeeeeeeente
adorei (Y)
rafael, vai trabalhar num jornal seu coco
ta perdendo tempo!
POKCPOKDSPOCKSOPDKCOSPKDCDS

abraço amigo^^

Rafa Norbim said...

Parabéns Rafa!
Naum conhecia esse seu lado de poeta... Muito legal mesmo...
Aff... naum sei escrever nem uma linha assim , uhauhauhau.
Abraço

Landrya said...

diz o poeta ...o artista vai onde o povo está..
SAuhAsYAGuisauysa
amigoo vc esta otimo.
sempre...vc é otimo!!

adorei seu espaço...vou lá continuar lendo pq se eu ficar aqui..o tempo passa...pq vc mesmo disse que o tempo nao para.


te adoro,

bjos.

Sinho said...

bem
mto linda a poesia
mto bem composta
amigo Rafa
te adoro

saudades
bjus

Sinho said...

bem
mto linda a poesia
mto bem composta
amigo Rafa
te adoro

saudades
bjus

Carissa said...

Eu já te disse o que eu achei...
ela é bonita sim...
e tem um significado ímpar pra vc...
BjO